Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Petrobras pode definir novo reajuste da gasolina e do diesel nesta sexta

Último reajuste de preços da gasolina foi em janeiro deste ano, de 6,6%. Atualmente, reajuste tem alta relação com o andamento da inflação no país.

Petrobras pode definir novo reajuste da gasolina e do diesel nesta sexta       A Pretrobras pode definir um novo reajuste dos preços da gasolina e do óleo diesel para as refinarias para vigorar ainda neste ano em reunião desta sexta-feira (29) do Conselho de Administração da estatal, em São Paulo. A reunuião está marcada para as 10h, de acordo com a agenda do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que também é o presidente do conselho da estatal. O último reajuste de preços da gasolina foi em janeiro deste ano, de 6,6%. Analistas avaliam que a estatal deverá anunciar um novo reajuste para as refinarias ainda neste ano, ou no começo de 2014, para diminuir seu prejuízo com a alta do preço do petróleo no mercado internacional e com a valorização do dólar. Como a Cide já está zerada, um eventual novo reajuste nas refinarias seria necessariamente repassado para os preços ao consumidor. A diferença entre os preços do mercado interno e externo chegou a quase zero em abril. Com a alta do dólar, contudo, bateu os R$ 0,42 centavos por litro em agosto. Hoje, está em torno de R$ 0,13% por litro, de acordo com informações do Bom Dia Brasil. No Brasil, o preço da gasolina varia de capital para capital - o que depende de fatores como a distância da refinaria, a concorrência entre os postos, etc. Contudo, se o aumento vier em torno de 5% ou 6% (percentual em discussão), a alta na bomba deve ficar em torno de 4%. Inflação Atualmente, o governo controla os reajustes de combustíveis da estatal com base, principalmente, em questões relacionadas à inflação. Isso porque o aumento dos preços do combustível impacta na inflação que, neste ano, chegou a ficar acima do teto de 6,5% da meta do governo - em junho, o IPCA em 12 meses ficou em 6,7%. De acordo com o Bom Dia Brasil, os economistas calculam que a alta na bomba de 4% no preço da gasolina, por exemplo, some ao IPCA 0,2 ponto percentual. Impacto nas ações da Petrobras Acontece que essa atual política de preços da Petrobras, com reajustes esporádicos que não acompanham valores internacionais no curto prazo e provocam defasagem, está afetando a companhia num momento em que a empresa vem importando derivados para fazer frente ao crescimento do consumo brasileiro, principalmente por diesel. Na prática, o mercado (acionistas da Petrobras) não vê com bons olhos a política de controle de preços com base na inflação do país, tendo em vista que o reajuste não acompanha os valores do mercado internacional. De acordo com o Bom Dia Brasil, as ações da Petrobras caíram 13% nos últimos dez dias. No terceiro trimestre, o lucro da Petrobras caiu 45% sobre o trimestre anterior, para R$ 3,395 bilhões. A queda foi de 39% em relação ao mesmo período do ano passado. Nova metodologia A Petrobras anunciou em outubro que terá uma nova metodologia traga maior previsibilidade do alinhamento dos preços domésticos do diesel e da gasolina aos preços praticados no mercado internacional. De acordo com a Petrobras, a metodologia contempla reajuste automático do preço do diesel e da gasolina em periodicidade a ser definida antes de sua implantação, baseado em variáveis como o preço de referência desses derivados no mercado internacional, taxa de câmbio e ponderação associada à origem do derivado vendido, se refinado no Brasil ou importado. A proposta dessa nova metologia, porém, não está pronta, disse Mantega. De acordo com o ministro, o governo federal e a Petrobras ainda estão amadurecendo uma decisão sobre uma fórmula de reajuste da gasolina no país. Ele não informou se a decisão pode ficar para 2014. "Quando ficar pronto, será apresentado", se limitou a dizer.