Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Produtores de MT seguram venda do milho à espera de preços melhores

Em algumas regiões, a saca está valendo menos de R$ 10. Com a lentidão nas vendas, começa a faltar espaço para estoque.

Produtores de MT seguram venda do milho à espera de preços melhores

Cerca de 90% da área plantada com milho safrinha, em Mato Grosso, já foi colhida, o problema é que os grãos estão parados nos armazéns à espera de melhores preços. Em algumas regiões, a saca está valendo menos de R$ 10.

Jadir Taffarel plantou 300 hectares, em Sinop, norte do estado. A área foi 20% menor do que a do ano passado, a colheita já terminou e o milho não deixou ainda a propriedade. Na região, a saca de 60 quilos está sendo negociada por R$ 9,50, preço que Jadir considera muito baixo, já que o custo de produção é de R$ 14.

 

Laércio Lenz planta em Sorriso, município vizinho. Ele vendeu até agora só 20% dos 600 hectares que colheu e como não tem silo, teve que alugar espaço em um armazém da região e a cada mês, paga R$ 0,30 por cada saca. Laércio prefere arcar com o custo extra e esperar uma reação do mercado ou vender para outras regiões do país. “Hoje nós temos que tirar nosso milho do estado por caminhões e o transporte rodoviário é o mais caro que existe. Isso faz com que o nosso milho perca competência com outras regiões do país”, conta.

Com a lentidão nas vendas, começa a faltar espaço para estocar o milho no norte de Mato Grosso. Em um armazém em Sorriso já há um grande volume do produto ao ar livre, sem qualquer proteção.

”Esse ano, nós tivemos uma diminuição da área plantada, uma diminuição significativa na produtividade, mas o problema é a falta de escoagem, que hoje é de apenas 10% do produto", explica Igor Ferreira, gerente de estocagem.

Até agora, cerca de 30% da produção de Mato Grosso foi comercializada.