Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Colheita do algodão está parada no sudeste de MT por causa da chuva

Produtores estão preocupados com a qualidade da pluma. Chuva fora de época mandou as máquinas para o barracão.

Colheita do algodão está parada no sudeste de MT por causa da chuva

A chuva está dificultando a colheita da safra de algodão em Mato Grosso. O trabalho está atrasado e a pluma começa a perder qualidade.

É só o tempo fechar para os produtores de algodão ficarem preocupados. Em uma fazenda na Serra da Petrovina, no município de Pedra Preta, sudeste de Mato Grosso, a pluma está no ponto, mas está úmida e não pode ser colhida. A lavoura tem mais de 4,6 mil hectares. A chuva fora de época, que caiu nos últimos dias, mandou as máquinas para o barracão.

A colheita está atrasada em todas as regiões do estado. Apenas 20% das lavouras foram colhidos, enquanto neste mesmo período do ano passado, já eram 32%, segundo o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

O principal prejuízo das chuvas está no aspecto visual do algodão. Isso é fácil perceber, é só olhar para a pluma que foi colhida antes de receber muita umidade para ver que ela está mais branquinha, tem mais brilho. Na comparação com o algodão que está no ponto de ser colhido, mas tomou chuva, ele está mais acinzentado e também mais opaco.

Na fazenda vizinha, a qualidade da pluma também foi afetada. Nesta safra, foram plantados 3,7 mil hectares de algodão. Além da pluma, as chuvas também comprometeram a produção de sementes. “Os talhões que estavam prontos para ser colhidos serão descartados. A gente tinha uma meta de produção de sementes que não conseguimos alcançar”, diz Alessandro Dalazen, gerente de produção.