Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Em SP, agricultores reclamam dos casos de roubo nas propriedades

Para se defender, muitos investem em equipamentos de segurança. Mais de 100 fazendas foram roubadas desde janeiro no centro-oeste de SP.

Em SP, agricultores reclamam dos casos de roubo nas propriedades

O aumento dos casos de roubo e furto nas propriedades preocupa os agricultores do centro-oeste de São Paulo. Para evitar o prejuízo, muitos investem em equipamentos de segurança.

Já foi o tempo em que o cadeado na porteira era sinal de limite, de até onde o visitante podia ir. A vida tranquila do campo mudou, máquinas modernas e caras ocupam as plantações e atraem também as quadrilhas.

Um homem que prefere não se identificar sabe bem o que é isso. Enquanto fazia a irrigação durante à noite foi rendido por três bandidos armados e, amarrado em uma árvore, viu os assaltantes levarem o trator embora.

Para manter os bandidos longe, o homem do campo está investindo em tecnologia. Se alguém abrir o portão de uma fazenda sem ser autorizado terá a surpresa de um alarme sonoro.

O galpão com 450 metros quadrados agora é vigiado. Seis sensores disparam o alarme ao menor movimento, investimento que foi feito após ladrões levarem produtos avaliados em R$ 25 mil.

 

Além de investir em equipamentos de segurança, o agricultor também mudou algumas atitudes. O trator mais novo, e mais caro, agora é guardado no fundo do galpão, à frente dele, ficam outros três tratores mais velhos, uma atitude simples, mas que traz uma sensação maior de segurança.

Outra mudança envolve a compra de insumos. Agora só é levado para a fazenda o que será aplicado no mesmo dia. Não há mais estoque.

Em outra fazenda, o proprietário foi além e instalou câmeras de segurança. São dezoito no total, um investimento de R$ 10 mil. Há câmeras na entrada da fazenda, no galpão e na casa e sensores de movimento acendem uma luz, caso necessário. José Francisco Jorge Junior controla tudo do escritório, a cinco quilômetros dali.

A insegurança também é sentida por Gislaine Viganó. Na propriedade dela também foram instaladas câmeras de segurança, depois que bandidos causaram um prejuízo de mais de R$ 100 mil. “Nunca tivemos policiamento rural, para nós seria uma segurança maior”, diz.

Segundo a Polícia Militar, mais de 100 fazendas foram roubadas, de janeiro até agora, na região centro-oeste de São Paulo.