Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Primeiro leilão da safra da laranja anima citricultores de São Paulo

Agricultores estão otimistas e esperam que o mercado fique mais enxuto. Conab disponibiliza R$ 50 milhões em subsídios aos citricultores.

Primeiro leilão da safra da laranja anima citricultores de São Paulo

A Conab realiza nesta quinta-feira (10) o primeiro leilão de laranja para garantir o preço mínimo estabelecido pelo governo. O pregão é direcionado para o estado de São Paulo, principal produtor da fruta. Em Taquaritinga, os agricultores estão otimistas e esperam que o mercado fique mais enxuto.

Carlos Alberto Grigolli é citricultor em Taquaritinga, no nordeste de São Paulo. A produção, de nove hectares deve render 10 mil caixas da fruta nesta safra, a mesma quantidade do ano passado, só que a colheita, dessa vez, começou mais tarde porque o contrato com as indústrias de suco demorou para ser fechado.

O preço da laranja também não agrada. As indústrias pagam, em média, R$ 8 pela caixa de 40 quilos, valor que, segundo os citricultores, não cobre os custos de produção, que são de R$ 11 por caixa, em média.

A esperança dos produtores está em um leilão que acontece no estado de São Paulo. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), disponibilizou R$ 50 milhões em subsídios aos citricultores, para tentar regular o preço da laranja no mercado.

O objetivo é incentivar a venda de 3 milhões de caixas da fruta ao preço de R$ 11,45 cada, um subsídio de R$ 3,45 por caixa.

Cada produtor só pode negociar até 5 mil caixas. “É uma parte pequena da safra, mas que vai ajudar muito o produtor, sobretudo na colheita e no transporte”, explica Marco Antônio dos Santos, presidente do Sindicato Rural de Taquaritinga.

Nos próximos meses, a Conab vai realizar leilões também para outros estados produtores de laranja, como o Paraná e o Rio Grande do Sul.