Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Tempo seco reduz a produção de silagem e força as vendas em SP

Criadores estão antecipando a compra de feno. Especialista alerta para o risco de faltar o produto no inverno.

Tempo seco reduz a produção de silagem e força as vendas em SP A estiagem do começo do ano e a redução de oferta de pastagem fizeram com que os criadores antecipassem a compra de feno. Em São Paulo, a procura foi tanta que os estoques estão praticamente zerados. O barracão de uma propriedade em Presidente Prudente que era para estar lotado até o teto de fardos de feno está quase vazio. O motivo foi a grande procura de compradores que ficaram sem pasto por causa da estiagem no início do ano. Júlio César Silva produz feno há 10 anos na propriedade que tem aproximadamente 10 hectares da cultura da variedade coast-cross. Apesar da grande procura fora de época, ele diz que não deu para lucrar porque a produção também foi prejudicada pela seca. "Teve o lado negativo da falta de chuva e a produtividade foi pequena, além dos altos custos com adubação e irrigação", diz. Em outra propriedade, onde existem cerca de 10 hectares destinados a produção de feno, também houve procura pelo produto antes da hora, mas o produtor conseguiu obter maior produtividade porque investiu em adubação. O fardo de feno, com 12 quilos, é vendido por um valor entre R$ 5 e R$ 7. Paulo Claudeir Gomes da Silva, especialista em introdução vegetal, afirma que é extremamente importante realizar adubação e outros procedimentos para que a cultura não sofra com a seca. “A tendência agora é que no inverno falte feno e os preços subam”, diz.