Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Custo da cesta básica sobe em 16 capitais em março, diz Dieese

Maiores altas partiram de Campo Grande, Goiânia, Porto Alegre e Curitiba. Preço do tomate aumentou em 15 capitais, registrando alta de até 93,14%.

Custo da cesta básica sobe em 16 capitais em março, diz Dieese O custo da cesta básica subiu em março em 16 das 18 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). As maiores altas partiram de Campo Grande (12,85%), Goiânia (12,61%), Porto Alegre (12,52%) e Curitiba (12,29%). Das 18 capitais pesquisas, Porto Alegre registrou a cesta básica mais cara. Em março, o preço ficou em R$ 356,17. Na sequência, aparecem São Paulo (R$ 351,46), Florianópolis (R$ 345,63) e Rio de Janeiro (R$ 345,11). Na outra ponta, estão as cestas básicas de Manaus e Belo Horizonte, que ficaram mais baratas: 1,25% e 0,41%, respectivamente.Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 225,82), João Pessoa (R$ 263,17) e Natal (R$ 271,31).   O preço do tomate aumentou em 15 capitais, variando de 93,14%, em Porto Alegre, e 0,72%, no Recife. Houve queda em Belo Horizonte (-5,84%), Manaus (-3,24%) e Natal (-0,81%).   "O preço do tomate sofre grande influência das condições climáticas e a estiagem do início do ano fez com que a colheita fosse antecipada, principalmente no Sul e o plantio, postergado no Sudeste, de forma que afetou a oferta do produto e elevou o preço", diz o Dieese em nota. O óleo de soja também ficou mais caro em 15 cidades, com altas entre 12,87%, em Natal, e 2,11%, em Brasília. Em Salvador, o preço não variou e recuou em Belo Horizonte (-0,69%) e no Rio de Janeiro (-0,29%). "O calor prejudicou a produção e a qualidade da soja produzida no país, o que diminuiu a oferta do insumo básico do óleo de soja. Além disso, os produtores estão estocando o grão, em busca de melhores cotações", afirma o Dieese. O café em pó também teve seu preço reajustado em 15 cidades, influenciado, principalmente, pela estiagem dos últimos meses, prejudicando a safra atual. "Soma-se a isso, o crescimento da exportação do café". Os preços aumentaram entre 3,06% em Salvador e 0,14% em Vitória. As quedas partiram de Aracaju (-1,73%), São Paulo (-1,11%) e Belém (-0,62%).