Cadastre seu e-mail e receba dicas úteis, novidades e muito mais. O cadastro é fácil e rápido.

Acompanhe as novidades

Em 12 meses, contratos de aluguel em SP sobem mais que IGP-M e IPCA

Valor dos contratos teve aumento médio de 8,5%, diz Secovi-SP. No mesmo período, IGP-M ficou em 5,76% e IPCA, em 5,68%.

Em 12 meses, contratos de aluguel em SP sobem mais que IGP-M e IPCA O valor dos contratos de aluguel residencial fechados em fevereiro na cidade de São Paulo registrou um aumento médio de 8,5% nos últimos 12 meses, segundo pesquisa do sindicato da habitação (Secovi-SP) divulgada nesta segunda-feira (24). De acordo com o estudo, o percentual é superior à variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), de 5,76%, e do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial, de 5,68%, do período de março de 2013 a fevereiro de 2014. Já em fevereiro, na comparação com o mês anterior, o valor dos contratos de locação residencial "esteve em linha com os valores praticados no mês anterior". “Em fevereiro, a diferença entre a variação acumulada do aluguel e o IGP-M atingiu 2,7 pontos percentuais, o menor nível desde junho do ano passado (2,1 pontos percentuais)”, afirma Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP, em nota. O valor do aluguel dos imóveis de um quarto teve queda média de 0,2% em fevereiro, na comparação com o mês anterior, enquanto o valor das unidades de três dormitórios apresentou alta de 0,2%. O valor de locação de imóveis de dois quartos não mostrou alteração.   Entre as modalidades de garantia exigidas, o fiador foi a mais frequente em fevereiro, com uma participação de 47%, segundo a pesquisa. O depósito de três meses de aluguel foi utilizado em um terço dos contratos locatícios, e o seguro-fiança foi o tipo de garantia em um quinto dos imóveis locados. Casas mostram mais velocidade Em fevereiro, as casas continuaram sendo alugadas com mais rapidez, em um prazo médio de 15 a 36 dias. Já nos apartamentos, o prazo variou de 19 a 40 dias.